domingo, 17 de junho de 2007

o rio e os seus



em terra este homem todos vigia, ali bem junto, do mais sagrado passa dias de chuva, sol, frio, calor, não lhe importa o tempo, está aonde quer estar, não tem obrigação com esta sociedade, só ele o rio o ceu como limite, do que a sua vista alcança, mais nada importa, quem esta, quem passa ou simplesmente quem por ali fica a olhar o rio..



do alto vigia o rio..........



o céu como limite..................